Com o tempo cada vez mais reduzido devido a correria do dia a dia, a ideia de poder estudar de qualquer lugar, seguindo seu próprio ritmo e conciliando outras atividades tem cultivado um número cada vez maior de adeptos.

 

Quanto mais flexibilidade e comodidade na hora de aprender, melhor. E com a expansão da internet, houve um forte crescimento no consumo de infoprodutos ou produtos de informação ou como também são conhecidos, produtos digitais.

 

Mas você sabe o que é um infoproduto?

 

Bom se você usa a internet é muito provável que você já tenha consumido alguns infoprodutos.

Um produto de informação ou infoproduto é geralmente uma explicação longa e detalhada de como algo funciona, direcionado para um público específico que precisa de informações.

 

Embora no início o modelo mais comum de um infoproduto era o pdf, hoje em dia muitos são vídeos de ponta e webinários gravados.

 

Esses vídeos tendem a oferecer mais valor aos clientes do que apenas ler um PDF, e muitos criadores de produtos de informação preferem oferecer cursos nesse estilo de webinário gravado.

 

Como o vídeo é uma excelente ferramenta para construir relacionamentos online, muitos produtores preferem fazer vídeos, na esperança de que seus clientes se conectem e confiem neles, para que assim ele ganhe autoridade na hora de indicar os seus produtos.

 

Para que você possa ter mais clareza, segue definição do wikipédia: “Infoproduto é produto não tangível, informação digital que pode ser vendida ou disponibilizada gratuitamente na forma de arquivo para download na internet. Há diversos: ebooks, apostilas, cursos, videoaulas, screencasts, aplicativos, kits, etc.”

 

A proposta é resolver problema de quem os adquire.

 

Há muitos benefícios para um negócio baseado em produto de informação. Afinal, não há custos reais para a entrega do produto.

 

Todo processo se dá no ambiente virtual.

Fundo vetor criado por natanaelginting – br.freepik.com

 

Não há necessidade de espaço físico para estoque e armazenagem dos produtos, nem gastos com embalagens, além de impostos sobre vendas (dependendo de onde você está) e taxas de processamento de comerciante.

 

O custo para fabricar um produto de informação é muito baixo ou zero (principalmente se você mesmo o criar) ou um gasto único em design e produção.

 

Por causa disso, os lucros líquidos de um produto de informação podem ser muito expressivos, mesmo com poucas vendas por semana.

 

Não há necessidade de frete (já que o cliente geralmente faz o download do produto ou recebe um login em seu e-mail). Você não terá que enfrentar as dificuldades logísticas que poderá ter com um produto físico.

 

Ao afiliar-se a um infoproduto é necessário que você pesquise bastante sobre ele. Estude a página de vendas do produtor e certifique-se de que o produto que você oferece seja realmente INOVADOR.

 

Ele precisa conter informações únicas e exclusivas. Informações que não sejam encontradas gratuitamente numa simples pesquisa no Google.

 

Por pesquisas do Google, não quero dizer encontrar o produto real que as pessoas colocaram como um download gratuito (embora também exista isso).

 

Quero dizer, pesquisar, sem custos, as informações apresentadas no curso que você está tentando vender.

 

Muitas pessoas estão dispostas a pagar alto para aprender sobre diversos assuntos desde que o seu problema seja solucionado. Essa é a principal força que os produtos de informação realmente vendem: experiência.

 

Por causa disso, pode ser preciso muito mais esforço para empregar as estratégias certas de marketing para efetivamente realizar suas vendas.

Sobre o Autor

Jouse Ferreira
Jouse Ferreira

Conheça a Jouse Ferreira na seção "sobre mim" na página Home

2 Comentários


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *